quarta-feira, 15 de junho de 2011

OLHAI OS LÍRIOS DO CAMPO

Olhai os lírios do campo


Deixai brotar as sementes
Mesmo se não colherdes seus frutos

Se deixardes de plantar
Ao menos permita que nasça

Permita-se renascer
Olhai os lírios do campo

Enquanto há tempo
Olhai os lírios do campo

JD Gabriel
Cacoal – RO, 15/06/2011.

COLLETTIVITÀ


Collettività

Vagano in bolle

Oppure conchiglie singoli

In tutte le direzioni

Ai quattro angoli

Collegati

Scollegati

Rimangono intatte

Dietro i suoi occhiali da sole

Oppure vetri chiusi

Estasiati

Si annichilano

Consapevolmente

Inconsapevolmente

Così insiemi

Così soli

La collettività.


JD Gabriel
Cacoal – RO, 13/06/2011

segunda-feira, 13 de junho de 2011

COLETIVIDADE

Coletividade

Vagam em bolhas
Ou conchas individuais
Em todas as direções
Nos quatro cantos
Conectados
Desconectados
Mantêm-se intocáveis
Atrás de seus óculos escuros
Ou vidros fechados
Extasiados
Aniquilam-se
Conscientemente
Inconscientemente
Tão juntos
Tão solitários
A coletividade.

JD Gabriel
Cacoal – RO, 13/06/2011.

quinta-feira, 2 de junho de 2011

SOU A FAVOR...

Sou a favor...

Do gelo no copo que esquenta
Do gelo na chapa que exala
Do gelo no corpo que aumenta
Do gelo ao fogo, ao amá-la

Sou a favor...

Dos teus doces envenenamentos
Dos teus olhos nos meus
Dos teus quentes movimentos
Dos meus lábios nos teus

Sou a favor...

De todos os seus feitiços
De todo o seu puro amor
De todos os seus caprichos
De todo o seu ser, sou a favor

JD Gabriel
Cacoal – RO, 02/06/2011.

NADA COMO...