segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

COISAS QUE SE APRENDEM

"...Poucos os que procuram
Moldar o seu próprio tempo,
Construir seu próprio caminho,
Provar do néctar..."

CONCEPÇÕES



VEÍCULO DA VIDA


VEÍCULO DA VIDA

Na altura desse caminho,
O motor do veículo da vida
Já se vê amaciado.
A lucidez que observa
As trilhas já conhecidas,
Aguça a percepção...
Vem seguidamente uma alerta:
Ter controle absoluto,
Deste veículo – a vida,
É raro que tenhamos.
Se faz ponto cego, então,
Estes nossos sentimentos...

Ah... Se pudéssemos
Encontrar um atalho,
Ou mesmo construí-lo!
Um que dê para outro lugar...
E que se dane tudo!
Que seja para muito distante...
Colocar o ponteiro no fim...

Éh... Sentimentos são rumores,
Que nem sempre
Estamos dispostos a ouvir.
Como silenciá-los?
Incômodos, intransigentes,
Eram estes rumores .
Mais que os rumores
De trânsito e dos vendedores
Com gritos esganiçados,
Aguardando-me nos sinais...

Hora de parar para ouvi-los.
Assim o fiz com a maior franqueza
Sem vidros escuros ou receios...
É vital que surta efeito,
É vital que soem
Como música pra est’alma...
Combustível novo,
Para prosseguir
Nestes caminhos de ser não ser.

JD Gabriel,
Cacoal – RO, 05/12/2011.

domingo, 4 de dezembro de 2011

FASES DA VIDA


FASES DA VIDA

No tempo de sorrir,
Sorria muito.
Divida seus motivos...
Quando vier
O tempo das lágrimas,
Entendam-nas passageiras,
Fontes de lição.

No tempo de amar,
Ame muito.
Sem procurar motivos...
E mesmo quando,
Em não se sentindo amado,
Continue amando.
Todo tempo
É tempo de amar.

JD Gabriel,
Cacoal – RO, 03/12/2011.

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

DANÇA DAS ALMAS


quarta-feira, 12 de outubro de 2011

VIRGEM MARIA


VIRGEM MARIA

Óh Virgem Santa
Santa Virgem Maria
Maria da Trindade
Mãe do Filho de Deus
Cubra-nos de Luz
Esta Luz que é Vossa
Proteja nossas almas
Traga mais pureza
Para nossos espíritos
Nós que somos
Crianças, jovens
Ou adultos
Traga discernimento
Para nossas vidas
Ensina-nos
O que é o amor
E como amar
Óh minha Mãe!
Óh nossa Mãe!

JD Gabriel
Cacoal – RO, 12/10/2011.

sábado, 8 de outubro de 2011

PALCO DO CORAÇÃO


PENSAMENTO POSITIVO


MEUS PLANOS



  MEUS PLANOS

Se me perguntarem
Quais são os meus planos
Eu já sei o que dizer
Meus planos vão além
De ficar apenas planejando
É ter a liberdade de manter
A mente bem aberta
É mergulhar bem fundo na vida
E permitir que a vida
Inunde meu ser

Meu plano é
Viver sem despedidas
Por que tudo nessa vida
Por si mesmo se despede
Mas que haja sempre magia,
Contentamento e luz
Em todo reencontro
Em todo novo encontro

O meu plano é
Curtir cada canção
Esta bela expressão
Da singularidade da vida
Com todos os ingredientes
Que libertam sonhos,
Ou os fazem
Por algum momento,
Se realizar

O meu plano é
Olhar nos olhos
De cada pessoa
Enquanto ela fala
Parar para ouvir
O que tem a dizer
Permitir que se complete
Ao menos uma parte
Do que existe em mim...
Permitir que ela viva.

O meu plano é
Cultivar a sabedoria
Saber amar
Ser sempre grato
Por toda realização
E saber perder
E saber ganhar
E saber perdoar
E pedir perdão

O meu plano é
Viver um pouco de Sócrates
Um pouco de Platão
Um pouco de Da Vinci
Um pouco de Vinícius
E o máximo que puder
Do mestre Jesus Cristo

Mas se tudo for
Muito pretensioso
Que eu saiba
Simplesmente viver
Neste plano
E no vindouro.

JD Gabriel
Cacoal – RO, 08/10/2011.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

PRIMAVERA

PRIMAVERA

glitters


Primavera

Era o relaxante som lá de fora
Trazendo a vida de volta agora
Tentando ganhar mais atenção
Do que tua voz, doce canção

Eram os clarões no céu ritmados
Riscavam quão poemas rimados
Mas não conseguiam me encantar
Mais que o brilho do teu olhar

A natureza em festa e flor
Curvava-se a este ser encantador

É uma amostra
Do que se sucedera
Naquela nossa
Última primavera

Não se sabe, se a última delas

O ritmado som lá de fora
Fazendo bem ao chão agora
Talvez ganhe espaço e jeito
Mais que o som deste frio peito

Os clarões no céu em trilho
Parecem roubar todo o brilho
Destes olhos já lacrimejantes
Desta minh’alma tão errante

Na minha natureza resta a dor
O desencanto, ausência de cor

Talvez uma amostra triste
Da primavera que virá
Ou da que não mais existe
Ou sempre assim existirá

Quem sabe, no verão florescerá

JD Gabriel
Cacoal – RO, 16/09/2011

quarta-feira, 15 de junho de 2011

OLHAI OS LÍRIOS DO CAMPO

Olhai os lírios do campo


Deixai brotar as sementes
Mesmo se não colherdes seus frutos

Se deixardes de plantar
Ao menos permita que nasça

Permita-se renascer
Olhai os lírios do campo

Enquanto há tempo
Olhai os lírios do campo

JD Gabriel
Cacoal – RO, 15/06/2011.

COLLETTIVITÀ


Collettività

Vagano in bolle

Oppure conchiglie singoli

In tutte le direzioni

Ai quattro angoli

Collegati

Scollegati

Rimangono intatte

Dietro i suoi occhiali da sole

Oppure vetri chiusi

Estasiati

Si annichilano

Consapevolmente

Inconsapevolmente

Così insiemi

Così soli

La collettività.


JD Gabriel
Cacoal – RO, 13/06/2011

segunda-feira, 13 de junho de 2011

COLETIVIDADE

Coletividade

Vagam em bolhas
Ou conchas individuais
Em todas as direções
Nos quatro cantos
Conectados
Desconectados
Mantêm-se intocáveis
Atrás de seus óculos escuros
Ou vidros fechados
Extasiados
Aniquilam-se
Conscientemente
Inconscientemente
Tão juntos
Tão solitários
A coletividade.

JD Gabriel
Cacoal – RO, 13/06/2011.

quinta-feira, 2 de junho de 2011

SOU A FAVOR...

Sou a favor...

Do gelo no copo que esquenta
Do gelo na chapa que exala
Do gelo no corpo que aumenta
Do gelo ao fogo, ao amá-la

Sou a favor...

Dos teus doces envenenamentos
Dos teus olhos nos meus
Dos teus quentes movimentos
Dos meus lábios nos teus

Sou a favor...

De todos os seus feitiços
De todo o seu puro amor
De todos os seus caprichos
De todo o seu ser, sou a favor

JD Gabriel
Cacoal – RO, 02/06/2011.

NADA COMO...